Como conduzir seu táxi como um negócio.

Multa fica mais cara para quem for pego dirigindo alcoolizado.
outubro 13, 2016
Senado lança estudo sobre impactos da liberação do Uber.
outubro 20, 2016

Não é preciso se esforçar muito para perceber como tem crescido o número de pessoas que utilizam o táxi como um negócio. É uma questão que tem se popularizado nos últimos anos. Para se ter uma ideia, apenas em São Paulo – cidade com terceira maior frota de táxis do mundo – existe um táxi para cada 351 habitantes.

À primeira vista essa quantidade pode assustar quem deseja investir na profissão de taxista. Afinal, quanto mais táxis nas ruas, maior a concorrência. Mas, um fato que muitos brasileiros já reclamavam há muito tempo e ganhou força nos últimos anos – principalmente pelo surgimento de aplicativos que oferecem o mesmo tipo de transporte – é um problema sério que cedo ou tarde todas as pessoas que desejam encarar o táxi como um negócio (ou mesmo ter um negócio de táxi) precisarão resolver: a falta de profissionalismo.

Pensando nisso, selecionamos os quatro pontos principais que devem ser observados por quem deseja investir na profissão de taxista com seriedade ou para taxistas que já atuam no mercado mas procuram consolidar seu táxi como um negócio que, como qualquer outro, precisa de formalização, planejamento e profissionalização.

Atendimento ao Cliente para ter o táxi como um negócio

Conforme a concorrência aumenta e fica mais fácil para os consumidores trocarem de serviço, entrar em um táxi desconfortável e ter que lidar com  motoristas despreparados é um desconforto que as pessoas não estão mais dispostas a passar.

Apenas prestar o serviço básico de transportar uma pessoa de um lugar ao outro já não é mais o suficiente. Para fidelizar clientes e ter lucro, é preciso oferecer valor através de um atendimento adequado, que inclui desde comunicação profissional com as pessoas no veículo até diferentes formas de pagamento, como cartões de crédito ou débito.

Isso porque, ao contrário do que muitos pensam, a maior queixa das pessoas que trocaram os táxis por aplicativos concorrentes não é a o preço, e sim o atendimento ao cliente.

Pós-venda

Para quem quer ter o táxi como um negócio, garantir que o cliente tenha a maior experiência possível dentro de seu táxi é importante, porém é apenas a primeira parte do processo de fidelização.

Técnicas de pós-venda comumente utilizada por vendedores podem – e devem – ser utilizadas por taxistas que desejam fidelizar clientes e se manter competitivos no mercado.

Mas como fazer isso na prática?

Uma técnica de pós-venda eficiente para vendedores e que pode ser bastante útil para taxistas que encaram o táxi como um negócio é, no final de cada corrida, oferecer alguma forma de contato. Pode ser um cartão, website ou até mesmo o próprio número de telefone celular. O importante é que o cliente – satisfeito com o serviço prestado – tenha alguma forma de entrar em contato diretamente com você.

Se o seu serviço foi profissional e o cliente se sentiu confortável e seguro, as chances dele entrar em contato com você no futuro, quando houver necessidade de um táxi, são bem altas.

Fluxo de Caixa

Apesar de ser uma prática extremamente comum em empresas “tradicionais”, realizar um planejamento de fluxo de caixa ainda é raridade entre os taxistas,  principalmente os mais antigos.

Para aqueles que desconhecem o termo, fluxo de caixa é uma previsão de todas as entradas e saídas de um negócio dentro de um período pré estabelecido.

Para negócios, ele é essencial pois permite ter um controle maior sob os gastos e lucros futuros, evitando atrasos no pagamento de contas ou necessidade de empréstimos.

Além de ajudar a controlar as finanças, um fluxo de caixa também pode ajudar a identificar os pontos falhos do planejamento financeiro, lucro bruto e líquido por período, sazonalidade e muito mais.

Apesar de não ser nenhum “bicho de sete cabeças”, elaborar um fluxo de caixa correto pode ser uma tarefa desafiadora para algumas pessoas, e é por isso que aprofissionalização dos motoristas de táxi, que será abordada a seguir, é tão importante.

Profissionalização

Por ser uma exigência das Prefeituras brasileiras, muitas pessoas que desejam ter o táxi como um negócio acreditam que os cursos preparatórios servem apenas para se legalizar na profissão.

Mas realizar um curso para se profissionalizar como motorista de táxi é muito mais que isso. Trata-se de uma ótima forma de conseguir conhecimentos e  colocar em prática todos os aspectos abordados neste artigo.

No Icetran, por exemplo, se você mora nos estados de SC, RJ, PE ou MG, poderá realizar um curso de taxista à distância e aprender conceitos fundamentais de:

  • Relações Humanas

  • Direção Defensiva

  • Primeiros Socorros

  • Mecânica Básica e Elétrica Básica

Para saber quais municípios destes estados já estão aptos à oferecer o curso de taxista a distância do Icetran, consulte nosso site.

Ter esses conhecimentos e um certificado para comprová-los significa muito mais do que apenas estar legalizado para exercer a profissão de taxista, mas também se diferenciar dos concorrentes, fidelizar clientes e se destacar no mercado como um profissional de verdade.

Afinal, o seu táxi é um negócio como qualquer outro e merece todo cuidado do mundo para se manter competitivo e lucrativo num mercado cada vez mais competitivo.

Quer se começar a encarar o táxi como um negócio?

_____________________________________________________continuar____________________________________________________

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *